segunda-feira, 3 de junho de 2013

21 Fenadoce diversas atrações e muitos doces de dar água na boca





História

A Feira Nacional do Doce – Fenadoce – é um evento anual realizado para promover a cultura doceira da cidade de Pelotas-RS para todo o Brasil e exterior. Os famosos doces pelotenses, herança da colonização portuguesa, alemã e italiana, são responsáveis pelo desenvolvimento do setor doceiro que exporta as iguarias para diversas cidades do Brasil.
A Fenadoce nasceu em 1986, criada pelo Poder Público juntamente a outras entidades. A Câmara de Dirigentes Lojistas de Pelotas – CDL – assumiu a coordenação do evento em 1995 e, desde então, a feira só cresceu. Nas primeiras edições, acontecia a cada dois anos, sempre em um local diferente da cidade. A partir de 2000, a feira tornou-se anual e ganhou endereço certo: o Centro de Eventos Fenadoce, próximo ao principal trevo de entrada do município.
Hoje, a Fenadoce torna-se o centro das discussões de toda a população durante o período em que ocorre. Também atrai visitantes de fora, de outras partes do Brasil e do Mercosul. Convidados ilustres da área da política e do entretenimento sempre comparecem.
Para as doceiras, é a oportunidade de vender e divulgar os deliciosos doces pelotenses. Para os expositores, é a chance de entrar em contato com mais de 300 mil pessoas. Para os visitantes, a Fenadoce oferece um mundo de magia com diversas atrações culturais, gastronômicas e comerciais. Os 19 dias de feira são uma excelente oportunidade para se divertir, fazer negócios e conhecer nossos doces e nossa história.

A Cultura Doceira


Até as primeiras décadas do século 20, Pelotas foi identificada, no Brasil, como a cidade do charque. Com o passar do tempo, esse título foi substituído por outro, não vinculado precisamente a um alimento, mas a uma especialidade gastronômica: tem-se atribuído ao município o título de Capital Nacional do Doce.

Sabe-se que o Nordeste é, por excelência, a área do açúcar no Brasil e que não são menos famosos os seus doces. A região Sul, por sua vez, jamais produziu açúcar de forma significativa. Não obstante, a tradição do doce em Pelotas praticamente coincidiu, no tempo, com a implantação das primeiras charqueadas.
Segundo Gilberto Freyre, explica-se esta tradição precisamente a partir do intercâmbio charque-açúcar. Os navios que levavam charque para o Nordeste traziam, de torna-viagem, grandes quantidades de açúcar, transformados, no interior dos casarões pelotenses, em doces finos, confeccionados à base de ovos, conforme a melhor tradição portuguesa.
Associaram-se, na realidade, três fatores, que nada esclarecem por si mesmos, mas tão-somente quando se entrelaçam: os primeiros charqueadores eram portugueses — transportaram da metrópole a predileção por essa iguaria, que transmitiram aos filhos; enriquecidos, exercitaram o requinte social — promoveram festas, banquetes e saraus, em que esses doces eram servidos; na sua condição de prósperos industriais, tiveram facilidade para importar do Nordeste o açúcar, matéria-prima básica, na ocasião muito cara e inacessível à grande maioria dos brasileiros.
Esse doce fino, adaptado ao paladar local, é responsável pela singularidade do doce pelotense — o doce de bandeja — em comparação com o doce nordestino — o doce de tabuleiro, predominantemente à base de frutas tropicais.
São estas as informações básicas que se deve guardar (as candidatas a tituladas da Fenadoce inclusive), sobre um dos aspectos da tradição doceira de Pelotas. O outro é o das sobremesas elaboradas na região serrana e colonial do município, onde o cultivo de frutas de clima temperado, que o solo da região favorecia, permitiu que se acrescentassem aos chamados doces finos os doces de massa (pessegadas, goiabadas, marmeladas), as geleias, as compotas, as passas, os cristalizados. Enfim, sobre uma tradição que já existia construiu-se outra, compondo os elementos capazes de justificar que Pelotas seja identificada hoje, no Brasil, como a capital nacional do doce.
Por Mario Osório Magalhães








8 comentários:

  1. Olá
    Mauro
    O seu blog está maravilhoso
    Curti sua página no face.
    Passei aqui para convidar vc para conhecer meu novo blog
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Obrigado pela visita e carinho
      Seja bem vinda!!!
      Abração!!!

      Excluir
  2. Olá Mauro, me deu agua na boca só de ver esses doces.

    Deve ser uma tentação visitar essa feira. Fiquei com inveja dos visitantes. bjs

    http://revendabijuterias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii Lu
      Uma tentação e tanto,não tem como risistir,rsrsrs....
      Bjus!!

      Excluir
  3. Olá, Mauro.
    Que delícia de Festa.
    Parabéns aos pelotenses pela
    iniciativa de divulgar sua cultura
    através desta bela e doce Festa.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii amiga
      Sim amiga uma delicia de festa é irresistível,não temcomo resistir a tanta tentação!!!
      bjsss queida!

      Excluir
  4. olá Mauro.
    Maravilhoso cada doce melhor que outro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Não tem como resistir a tantas tentações!!
      Abçs!

      Excluir

SEU COMENTARIO É IMPORTANTE.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails